16 dezembro 2018

NAVEGA E POETA-SE


Ah! Se eu pudesse...
Ser o vento e girar
contra o tempo
virar brisa
tocar suavemente
rostos amigos
ser vendaval e varrer
mentes e corpos feridos
viajar por todos
os pontos da terra
circular pela natureza
imperceptível e forte
para aliviar sentidos
um ciclone de vida e beleza
Ah! Se eu pudesse...
ser um barco
em pano de fundo
carregado de branduras
com uma enorme bandeira
feito pintura
a navegar
por lagos rios e mares
tocar golfinhos
alimentar gaivotas
empunhar um leme esférico
re/conhecer gentes
mostrar o que se sente
mansamente
por todos os hemisférios
atracar em cais
com versos de mundo
Ah! Se eu pudesse...
ser uma estrela
aquele pontinho luminoso
brilhando no firmamento
tocar meu mundo azul
brilhar como o sol
visitar a lua
encantar toda gente,
cair do céu
toda nua
acompanhar dedos
em movimentos,
satisfazer desejos
despojar-me dos véus
Ah! Se eu pudesse...
ser poeta
cheia de rimas
leve como aragens
forte como barcos
luminosa como estrela
Ah! Poemar-se
por qualquer lugar
nos corações
palpitar versos
soltos
simples
simplesmente
a navegar e poetar.
fevereiro de 2006

Curiosidades!
Sabia que essa frase não é de Fernando Pessoa?
Ele a copiou do poeta italiano Francesco Petrarca, que viveu de 1304 a 1374. Acontece que Petrarca também não foi o inventor desta frase. Ele a tirou da "Vida de Pompéu", do escritor romano Plutarco (106-48 AC). Pompeu, general romano, animava seus marinheiros que, cheios de medo, se negavam a navegar durante a guerra. A frase em latim soava assim: "Navigare necesse; vivere non est necesse". Portanto "Navegar é preciso, viver não é preciso" tem mais de 2.000 anos!
imagem e texto de 
www.muraljoia.com.br/02cnavegar.htm


0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons