22 agosto 2015

Insinuação

Insinuação

Percebo-te,
a cada insinuação,
com a simplicidade
dos pés descalços e desprotegidos,
da inocência dos sorrisos sem compromissos,
do credo inabalável dos fiéis!

Incorporo-te!

Dispenso armaduras.
Trajo-me pautas e cores,
ensaio retoques e sabores,
aguardo teus incensos e essências.

Verbenas, frésias, açucenas;
baunilhas, rosas, magnólias;
miguet, cravos ou lavandas.

Quando chegas,
ó verso em nascedouro,
entoo um poema em reticências
até  que se module a inspiração.

©rosangelaSgoldoni
18 12 2014

RL T 5 350 307

1 comentários:

soninha porto disse...

Lindo!

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons