08 maio 2014

SINGELA HOMENAGEM - 8 ANOS DE POEMAS À FLOR DA PELE


Atraquei meu barco
Cheio de sementes
Neste belo Porto
Neste chão de mate
E de gente ardente
Quero ficar
E conjugar
Este verbo Somar
Pois não há tarde que congele
Não há ego que flagele
Dos nossos Poemas
Nem a Flor
E nem a Pele

Nilza Murakawa

2 comentários:

soninha porto disse...

Linda demais vc Nilza! Am,ei essa imagem e teu poema é bárbaro!

Nilza Murakawa disse...

Soninha, dei um jeitinho de encaixar nomes preciosos neste poema ;-)
Muito obrigada sempre, minha querida! Um grande beijo de PARABÉNS!

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons