UM POEMA PARA O DIA DAS MÃES














PURA SAUDADE

Os sinos da velha igrejinha
Dançam ao som do vento
Alegram o coral e o tempo
Embalam a fé, afugentam as nuvens
Abrem as asas das andorinhas

Volto para casa
E todos os cantos percorro
Aliso todas as paredes
Meus sentidos pedem socorro
Ainda não entendem esta tua infinita ausência

Cheiro teus lençóis floridos
Teus vasos coloridos
Enrosco-me nas rendas que tuas mãos teceram
Folheio antigos livros onde teus olhos se perderam
Só para sentir-te mais uma vez...

Teu cheiro não era só
De pura flor
Era de jasmim
Misturado com sal de pele

Teus olhos não eram só
De puro sol
Eram estrelas de dia
E de noites inteiras

Tua voz não era só
De pura alegria
Era canção
Misturada com poesia

E é na calmaria das minhas águas
No silêncio do meu coração em repouso
Na suavidade sobre a minha dor
Que tua presença ainda mora

Meus abraços não alcançam mais as tuas mãos
E eu ainda não sei voar...

Nilza Murakawa

Postar um comentário

6 Comentários

  1. Lindo poema, parabéns por mais um entre outros que virão. bjokas SMG

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema, parabéns por mais um entre outros que virão. bjokas SMG

    ResponderExcluir
  3. Que honra ter tamanho talento em nosso portal! Muito bem-vinda querida Nilza, que este espaço seja a sua casa, sua inspiração, seu reino da poesia! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema amiga! Parabéns! bjs

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Soninha, Márcia e Marília! Que delícia isto tudo, gente! Um beijo em cada uma! Uhuuu!

    ResponderExcluir

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!