12 dezembro 2013

Os Loucos da Minha Rua


Os Loucos da Minha Rua

Domingo, 09:00h.
Saio animada para um encontro festivo.
Atravesso a rua com passos decididos: olho ao redor, estou sozinha na calçada aguardando o ônibus.
Os carros trafegam lentamente, a cidade parece adormecida.
Sinto medo, ocupo a mente, os ponteiros avançam:  09:30h.
Da porta de uma loja entreaberta projeta-se um vulto: percebo em sua mão o talão de contravenção.
Seus passos procuram manter-se em linha reta, não consegue. Ali, parado, foi solicitado por uma mulher surgida do nada. Traços fortes delineados pelos maltratos da vida, ares de alinenada, um tanto deprimida, quase clamando para ser ouvida.
Pronuncia palavras desconexas mas entendo que o abandono da filha é motivo da conversa.
Descontraio-me olhando de soslaio:-
 - mais uma louca da praça de maio?

Minha rua já foi nua e singela; rendeu-se, sem pudores, à modernidade; crescem espigões sem estrutura; dormem cães nas calçadas sujas e reveste seus loucos de alguma verdade.

©rosangelaSgoldoni
04 12 2011
RL T  3 373 936

2 comentários:

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...



A Sabedoria


Refinancie a vida
incompreendida
ó Senhora Sabedoria
recém-nascida:
Pois o impossível
é descortinado
ao que crer...


Francis Perot

Reggina Moon disse...

Grande verdade!...Belo e reflexivo texto...Bjs!

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons