06 dezembro 2013

O OVO OU A GALINHA



Foto de Thiago Piccoli
A arte imita a vida ou a vida imita a arte? Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? Oscar Wilde, pensador e poeta irlandês do século XIX, declarava que a vida imita a arte muito mais que a arte imita a vida, todavia, parece à pergunta ter maior significado que qualquer resposta formulada. A vida, tanto por concepção como por desenvolvimento, é um processo criativo e, assim como a arte, tem sua origem na espiritualidade. Por isso, não seria errado deduzir que vida e arte se confundem e, como o ovo e a galinha, são farinha do mesmo saco.

Realidade ou ficção? Crença ou fantasia? O viver em sociedade presume, por parte do indivíduo, o desenvolvimento da sensibilidade em etapas pertinentes ao seu crescimento cronológico. Nos primórdios, o saber é construído a partir da trilogia mito, crença e tradição; o conhecimento adquirido pelas vivências daquele povo através de sua história, repassado de geração em geração. A essa realidade, incorpora-se a filosofia e depura-se pensamento e sensibilidade conduzindo o ser à expressão consciente de suas emoções. O intuitivo organizado e expressado na escrita, música, pintura e representação; o homem como imagem e semelhança de Deus ocupando seu lugar de timoneiro na existência, seja temporal ou espiritual.

Ser ou não ser? Luz ou escuridão? São questionamentos que não envelhecem considerando, até nossos dias, a trajetória percorrida pela humanidade e sua cultura. A imensa quantidade de teorias relacionadas à educação referenda, em pequena escala, correntes de pensamento pedagógico no sentido da inclusão e prática da comunicação da arte e ludicidade na formação integral do sujeito, seja aluno ou professor. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação 9.394/96 veio, teoricamente, permitir a introdução da arte no contexto da educação infantil, destacando sua necessidade nos conceitos sensíveis e culturais, admitindo sua importância sob o aspecto cognitivo, o que nunca antes havia sido considerado. Porém, por ainda vivermos um ensino mecanicista e direcionado aos resultados, são antagônicas as práticas recomendadas.

Cantar no coro? Fazer o solo? A prática artística é o exercício singular de uma técnica determinada para execução, expressão e contemplação individual ou coletiva. Sua aplicação na escola formal seria - a partir de um projeto ideologicamente definido - o desenvolvimento de didática específica para sua convivência, seja inter, multi ou transdisciplinar. Exercícios de respiração, relaxamento e percepção; oficinas de literatura, desenho e pintura; o folclore e suas conseqüências; a música e o teatro com seus respectivos desígnios; todas relacionadas e elaboradas ao universo cronológico correspondente. Ainda, a utilização dos recursos multimídia e a rotina estipulada para a assistência de espetáculos, visitação de museus e exposição de artes. Um elenco de atividades entre educando e educador que, através da troca de experiências e afeto, produza desenvolvimento crítico e estético e, por conseqüência, sujeitos comprometidos com a construção de uma sociedade mais justa.


“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.”
Oscar Wilde






Marco Araujo



2 comentários:

soninha porto disse...

Maravilhoso Marco! Esses pensamentos filosóficos já pensei tb, já tentei decifrar, acho que antes de v ida e arte, antes de ovo e galinha há a luz, que clarifica as sombras e faz emergir tudo! Acho que é o divino em cada coisa e em cada pessoa que vem antes de tudo. Bjs

Marco Araujo disse...

É isso mesmo Sônia, obrigado pelo comentário! Bjs

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons