02 dezembro 2013

MEU REBANHO DE SAUDADE

MEU REBANHO DE SAUDADE

Que saudade dos sonhos que perdi
do amanhecer do tempo de sonhar
ao termo da paixão que eu não vivi
por ter adiado o tempo para amar.

Que saudade de quando eu padeci
feliz de amargurar-me sem chorar
das feridas do amor que não senti
fingindo que paixão pode esperar.

Devo viver o lado bom do inferno,
talvez o amor não seja tão eterno
como a luz que seduz a claridade.

Eis ninguém pode separar de mim
as memórias que planto no jardim
solar de meu rebanho de saudade.

Afonso Estebanez
(Este poema é dedicado à Comunidade 
“Poemas à Flor da Pele” – meu imortal 
Planeta de Origem...)

2 comentários:

soninha porto disse...

Este poema dedicado a nós Poemas é uma peça literária das mais lindas que li!Obrigada meu amigo Afonso, te amamos!

Reggina Moon disse...

Sempre belíssimo!!....Que linda homenagem!
Beijos!

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons