24 novembro 2013

VOCÊ SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO?

VOCÊ SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO ? 
(A  ARROGÂNCIA)
Marcia Mendes

Numa discussão a senhora exaltada disse arrogante: "você sabe com quem está falando? Sou filha do desembargador..."
Lembrei da frase do Caetano, "cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é".   O que nos causa dor ou prazer tem sempre uma carga inominável.
Quem tem um presente capenga tenta suprir a falta com um passado glorioso.
Nesse mundo louco, o sujeito anda "des-bussolado" e tenta encontrar em sua genealogia alguém que supra seu desamparo e lhe dê legitimidade.  Vale um político, um artista, um nobre ou um brasão encomendado. Como uma febre de pertencimento, surgem fraternidades e sociedades, grupos buscados com avidez.  Há uma ânsia de ser reconhecido, de ter alguma fidalguia que lhe marque um lugar no mundo e legitime sua aparente superioridade. A alegria de ser alguém, o escolhido, o tal, o bam bam bam da vez.   O medo está no ar. Espreita na solidão quando o sujeito se vê no espelho e sente a dor da solidão.  O medo da pós-modernidade é ser diluído na multidão. Ninguém quer ser povão, comum.  O boi da cara preta é o anonimato.  Há uma nova ordem social, um prazer a todo custo, inconseqüente e fugaz; um amor desobrigado, superficial e fluido.  Se doer descarta. Há uma força estranha, a busca ao prazer desmedido e sem regras. A desorientação é filha da dor.  E pelo visto, a "solidão apavora".
Mas o que nos orienta?
O que nos orienta é o desejo.  Quase sempre o que se deseja não é o que se quer.  O desejo é lento, pontual, caprichoso, silencioso, delicado, refinado. O desejo nos desacomoda, instiga, impulsiona. Nasce de um processo lento de depuração responsável.
A tal senhora, do inicio, não sabe do que está falando e certamente não conhece o seu desejo.
***


2 comentários:

soninha porto disse...

A arrogância é talvez um dos piores sentimentos que o ser humano tem. Bem explicado por você querida Escritora, a solidão e o desejo disfarçados em "Eu pertenço a uma linhagem", que leva a prepotência, que leva ao desrespeito, que leva a desumanidade. Sei lá, meu tempo é de renovação, de buscas, de encontros, e sim de poder satisfazer meus desejos: de ser, e deliciosamente ser quem sou, e melhor cada a dia. Bjs

Reggina Moon disse...

Já fui vítima da arrogância...e o pior, é que essas pessoas realmente se consideram mais do que as outras, elas acreditam nisso...o melhor a fazer é afastar-se, para não entrar em discussão, que não levaria a nada...pois são doentes.Eu prezo pela igualdade, paz, amor...sentimentos que procuro ter ao meu redor.Um beijo e ótimo texto!

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons