26 outubro 2013

A Origem da Poesia


















“Um poema é mais memorizável que um parágrafo em prosa; uma canção é mais memorizável que um poema.” Eric Havelock 

Antes da invenção do alfabeto, os antigos gregos acreditavam que as Musas davam aos poetas o dom de desencantar as palavras: eram os Aedos. Eles compunham canções ao som da lira e conseguiam transmitir os segredos das palavras através da poesia. Os poemas eram compostos e cantados pelos Aedos e quando as canções passaram a ser escritas, os Aedos desapareceram.

A palavra grega mousa significa “canção” ou “poema”. As musas habitavam no templo Museion, termo que deu origem à palavra “museu” definido como o local de preservação das artes e ciências.

O poeta cantava perante uma assembleia de aristocratas reunidos num banquete, desfilando uma vasta coleção de temas conhecidos, por exemplo, a guerra de Tróia. Ele próprio escolhia um episódio, mas muitas vezes era o público que pedia um tema favorito. E assim o poeta fazia um curto canto de prelúdio à epopeia principal. Os Hinos homéricos constituem uma coleção
desses poemas.

Os Aedos cantavam um repertório composto de lendas e tradições populares ao som de liras ou cítaras. Assim como um artista escultor que dá forma a um bloco de pedra, o escritor dá forma às palavras transformando-as em sonetos, poemas, música e poesia.

"Nos dias de hoje, eu sinto que a Poesia tem uma grande divulgação nas redes sociais e que muitas pessoas estão ativamente interessadas em preservá-la em trabalhos incessantes a favor da Cultura, apesar da falta de incentivo por parte das autoridades, pois infelizmente, ainda nos dias de hoje, tudo relacionado à Cultura e Artes não é prioridade em nosso país. Cabe aos interessados, poetas e amantes da poesia a missão de nunca desistir do ideal e mesmo com as dificuldades, continuar o trabalho com amor e respeito, seja nas Redes Sociais ou em eventos importantes para atrair a cada dia novos amantes da Poesia e prestigiando novos escritores." [Reggina Moon] 

REFÚGIO

Calada é a voz da noite 
Quando os pássaros pousam
A procura de um abrigo...
Na árvore cessa o brilho 
Que o sol quente derrama
Enquanto isso a lua espreita
Os pensamentos de um poeta
Debruçado em sua janela
Escrevendo negros versos 
Adormecendo em silêncio...
Depois que todo o sentimento
Esteja escrito em seu refúgio.

[Reggina Moon]


11 comentários:

soninha porto disse...

Que bárbaro Reggina, amei os nomes Aedos e Musas, legal poder usar para os integrantes Poemas!

soninha porto disse...

Bem-vinda! Mil vc!

Marco Antonio Alvarenga disse...

Desejo-lhe boa sorte Reggina nesse novo projeto... Deus te abençoe...

Reggina Moon disse...

Obrigada Soninha...grata pelo incentivo....Sucesso a todos!Beijos....

Reggina Moon disse...

Obrigada Marco...a todos nós!....Um beijo!....

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Adorei o texto e explicações.
abração com carinho

Rosangela S Goldoni disse...

Parabéns pela postagem: pesquisa, comentário e poesia!
Um beijo

Reggina Moon disse...

Grata pela visita e um ótimo Domingo!
Abraços,

RMoon

Basilina disse...

Adorei o artigo, parabéns Regina.

Reggina Moon disse...

Muito grata Basilina...são assuntos que gostamos, né?Beijos!!!....

Dora Dimolitsas blog do Claudio Daniel disse...

Muito bom Regina Parabéns querida.
Beijos Dora.

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons