23 outubro 2012

DESEJOS

DESEJOS
Oswaldo Antônio Begiato


No princípio
ela quis apenas
um instante.

Depois,
quando o céu
era tocável,
desejou muito
o perfume
das horas.
Mais tarde,
cheia da esperança
de quem nasce
livre,
suplicou pelo olhar
da vida inteira.

Algum tempo mais,
radiante
como uma noiva
virgem,
morria pela promessa
de eternidade.

Quando a última lágrima
chegou,
feliz como cuitelinho
diante do açucar,
ela se entregou escrava
de corpo
e alma
ao amor temporal.

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons