27 maio 2012

ANDORINHAS NO FIO


ANDORINHAS NO FIO 

Quando vem a tarde
Eu corro para os fios da praça
E me penduro neles
Gemendo de saudades
Como fazem as andorinhas 

Elas lamentam suas dores
Confidenciam seus amores vividos
Trocam fios de esperança
Como eu que dou laços nas minhas 

Arrebentado pelo tempo
Eu me renovo na dor
E para sobreviver
Tive que apelar para um novo amor 

Mas alguns gaviões
Sobrevivem caçando
E eu que não sou andorinha
Andorinho o fio voando... 

Mário Feijó
28.05.12

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons