26 março 2012

VAIDADE NA GAIOLA



Outro dia eu prendi

Minha vaidade na gaiola

Me despi do verbo

E me vesti de versos e de substantivos

Joguei fora os advérbios

Amarrei alguns pronomes...



Depois... depois eu visitei meus anjos

Que haviam fugido de minha gaveta

E deixei meus demônios

Todos a pão e água...



E a vaidade lá... presa na gaiola

Toda se fingindo de inocente

Gemendo, quase morta,

Ficando seu destino a lamentar...



Não me penalizei

Ela não é bicho fácil de lidar

Portanto não é bom facilitar

Olho na gaiola e chave escondida...



Mário Feijó

26.03.12

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons