05 fevereiro 2012

MEDO


MEDO
Oswaldo Antônio Begiato

Há vidas
e há vidas
havidas
ávidas.

Não se chegue
muito perto;
se chegar
fique em silêncio.

Posso apenas
prender firmemente
meus olhos desordenados
aos seus olhos
(há neles um conforto,
um nível
e uma infinitude
só vistos
nos oceanos
serenos).

Nada mais posso.
Se eu for além,
ou vier do além
corro o risco de lhe invadir
rompendo seus vínculos.

É que o medo que me cerca
vem de dentro de mim.

1 comentários:

Malu disse...

Gladis, agradeço o carinho deixado nas páginas LETRAS ET CETERA.
Seus espaços são muito belos. Abraços

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons