19 junho 2011

Anelos I - Por Bruno Resende Ramos

Meu poema vive em crise.
Muda no estilo,
No ritmo e na dor.

Meu poema nem sempre é AMOR...
É como a vida...
Constante a despedir-se das coisas bem-vindas.

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons