24 fevereiro 2011

FILHOS (OS ESTRANHOS QUE MAIS AMEI)


Eu sempre pensei
Que não precisasse
Correr atrás de ninguém...

Um dia eu me descobri pai
Correndo atrás de meus filhos
Quando eram crianças
Adultos queria-os do meu lado...

A vida coloca estranhos
Em nossa caminhada
E íntimos filhos noutros caminhos
- uma outra estrada...

Eu envelheço e aprendo
Sem insistir na troca de amor
Cada um faz suas escolhas
E eu aprendi a respeitar a dos outros...

Mário Feijó
24.02.11

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons