27 fevereiro 2011

DE COMO AS ALMAS GÊMEAS SE REENCONTRAM (MINI CONTO POÉTICO)


Orvalho e Rosa,

alma gêmeas que se completavam.

O Céu, encanto azul,

ao Orvalho acenou.

E numa manhã ensolarada

sobe ao Céu, Orvalho enamorado.

Em gritos de silêncio

Rosa se largou,

em lágrimas de dor feneceu.

Alma que ainda buscava.

Renasceu em Mar.

Mar salgado de lágrimas.

Alma arredia.

Mar azul e misterioso.

Indômito Mar.

Apaixonante Mar.

Orvalho, transformado em Nuvem,

enfeite do Céu,

pelo mar apaixonou-se.

Céu enciumado,

alma em tempestade,

dispara raios e trovões.

Dissipa Nuvem.

Nuvem dissipada,

renasce em Chuva,

água vital,

suave deságüe.

Chuva e mar se unem.

Almas gêmeas que se reencontram.

Que novamente se completam.

Unidade e eternidade

Ciclo completo.


Clau Assi

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons