30 novembro 2010

INTIMIDADE

INTIMIDADE
Francisca de Carvalho Messa

Quando eu chorar
Seque o meu pranto
Mas quando eu sorrir
Quero ouvir teu canto
Antes de partir
Quando eu te beijar
Estarei  desejando dividir
Meu carinho e te amar
Teu calor sentir
Se  eu enlouquecer
Venha me salvar
Trazendo-me o prazer
Nos teus braços  partilhar
Do aconchego e sorver
Esse momento e nele  embalar
O sonho de nunca te perder...

Obrigado Francisca pelo carinho...

INTIMIDADE
             Percebo ao completar mais um ano da minha existência que vivi muito mais do que um dia imaginei, mas nesta hora penso sobre a transformação, pela qual todos passaremos, de uma forma de vida à outra. Em determinadas horas me assusta. Noutras nem tanto, pois vivi e apesar das mágoas cravadas no coração, fui muito mais feliz que infeliz e meus momentos de infelicidade serviram-me para uma calibragem, no tempo e na vida.
              É cruel a dor que algumas pessoas nos causam por puro egoísmo, mas penso que temos sempre que perdoá-las pois é o aprendizado delas, conviver com emoções contraditórias e que muito mais mal lhes fazem que a nós...
               Dinheiro, bens materiais? Quem precisará deles no paraíso? E eu que já vivo na prorrogação do tempo, devo me preocupar muito mais com a eternidade do que com a efemeridade.       
               É certo que há alguns anos, ter a idade que tenho hoje era coisa de uma pessoa velha. Os tempos mudaram. A velhice demora mais a aparecer nos corpos das pessoas e alguns realmente envelhecem quando se preocupam muito com isto. Eu ainda sou muito jovem para um planeta que tem milhões de anos... Estou por aqui só de passagem, apreciando a paisagem. Estagiando sentimentos. Trocando ideias e energias com pessoas. Àqueles que não me compreenderem, sinto muito, meu caminho é longo e eu não vou ficar olhando para trás, para o passado.
                Aos que dividem comigo esta troca de energia, de amor, amizade, companheirismo, saudade, tristeza, vícios e outros sentimentos, maiores e menores, dependendo da ocasião eu digo que todos nos servem para calibragem, para nos afinar com os tempos que virão.
                Agradeço aos amigos que me proporcionam paz e tranquilidade com uma certa intimidade prometendo ser melhor do que ontem, mas que ainda falta muito nesta minha caminhada em busca da evolução.    
                 Que o Grande Mestre, nosso Pai todo poderoso possa abençoar-nos e nos perdoar pelos erros cometidos.

Mário Feijó
30.11.2010

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons