22 março 2010

PELA JANELA

Pela minha janela
Passam verdes árvores
Algumas floridas
Outras sem folhas

Mas o que queria ver
Eram sorrisos de crianças
Mesmo que fossem amarelos

Eu vejo lágrimas
Escorrendo dos rostos infantis
De fome, por vermes ou por solidão

Célere corre meu carro
Feito gazela nas savanas
E pelas janelas restam ao olhar
Pequenas casas em grandes favelas...
Mário Feijó
22.03.10

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons