28 dezembro 2009

ACORDOS



http://doisdedosdeprosa.files.wordpress.com/2009/01/mudancasnalinguaportuguesa.jpg

Acordos
Arlete Castro


São dois solos
um de um azul sutil
e o outro verdejante gentil
o primeiro desbravou o mar
e venceu Adamastor*
enquanto o outro foi a conquista
terra a perder de vista
sonho de Imperador.


Um canta o privilégio de heróis
que desenharam mundos novos ao mundo
o outro canta deitado,
eternamente em berço de esplendor
enquanto as suas ruas, nuas…
esperam o seu favor.


Um trouxe na bagagem a língua
o outro a língua aprendeu
e moldou-a ao seu gingado
e agora faz de conta que o idioma é seu.


O primeiro canta o fado,
a canção triste que o elegeu
o outro samba e faz poesia,
escreve histórias
e perpetua as memórias
na língua que o acolheu.


E entre o gerúndio falado
em cada contínua acção
muda o outro o verbo atado
ao estar que auxilia na expressão,
dando ao infinitivo
a devida projecção.


E moldam o seu falar
cada qual com seu requinte
tentam acordos, fazem sena
discutem sobre o Trema,
dispensam o “p” e o “c”
das palavras onde se escondem
e entre circunflexos e agudos
não sabem se vale a pena.


Enquanto que a língua tem asas
e voa tranquila e serena
de um lado tem cor tropical
do outro parece formal,
mas no fundo é senhora
recusa-se a parar a história
está nos relvados do mundo,
na Garota de Ipanema,
no Nobel de Literatura
e nas telas de cinema.


E se é pronuncia ou sotaque
na verdade não sei
mas é língua de poetas
de épicos e canções
e se o poeta está certo
é “a última flor do lácio
inculta e bela!” **
expressando a Cultura,
gestos e maneiras
de muitas gentes
precioso legado
ao mundo deixado
tal qual viva semente.


* Alusão aos Lusíadas num dos cânticos quando o herói colectivo enfrenta Adamastor, o gigante dos mares.


**Olávo Bilac

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons