02 dezembro 2009

Carta de Amor

Abre a carta e amorosamente
a manuseia.
Lê cada palavra aos soluços
de quem a respeita
amando.


Concentra-se à vista dos lençóis
e na cama, ao mesmo tempo,
derrama uma lágrima posta
em uma das linhas
do papel.


À sua volta o quarto lhe é fiel.
À sua frente o quanto a espera
deitada ao seu lado
como sua já fora,
doce rainha e megera.


Ao apertar-se ao
travesseiro,
convencido de solidão,
vê sua vida desmoronar
derivando-lhe falta de coragem
para enxergá-la
ao invés da noite,
sem a saudade
à porta bater
e o teto acima rodar.


P.H.Frias

0 comentários:

Postar um comentário

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!

Fale Conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons