10 DE DEZEMBRO DIA DO PALHAÇO






www.circos.com.pt/sapatos.html

Palhaço

Cara esbranquiçada
provoca medo e riso,
cambaleia sem saída
nos enormes sapatos.

Gargalha a freguesia.
coloridos pingentes
caem dos floreados laços,
dá cambalhotas,
senta e levanta
em desmedida alegria.

Sem borrar a boca vermelha
- aberta de orelha a orelha -.

Cabeleira postiça,
não esconde a careca
só a vida secreta
cheia de provação.

É minúsculo o chapéu,
cruzes negras nos olhos
escondem lágrimas,
só precisa alegrar o povaréu.

Faz rir,
faz chorar,
desperta o sono da criança,
o sonho da infância...

percebe indiferentes almas,
fareja tristeza,
a inutilidade da fantasia
não engana a doença.

Insistente faz estrepolias,
provoca gargalhadas
desvia, tropeça
bate palmas.

Leva um pontapé
toma bolachada
e cai na solitária coxia.

O show da vida recomeça.


Soninha Porto















Postar um comentário

2 Comentários

  1. Soninha, não sabia que era dia do palhaço. Tem crianças que se assustam com eles, eu quando pequena adorava ve-los nos circos. Bela homenagem sua em seus versos! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu era uma que me assustava, acabava dormindo no circo, de medo, acho que por isso foi um dos primeiros poemas que fiz, para espantar os fantasmas, Valeu amiga pela visita!

    ResponderExcluir

POEMEM-SE SEMPRE!
SEJAM BEM-VINDOS!